quinta-feira, 30 de junho de 2011

O destino dos apóstolos de Jesus

Apóstolo PEDRO: Era pescador, nascido em Betsaida, filho de Jonas. Esperto, vivo, enérgico e temperamental. De nome Simão, Jesus o chamou de PEDRO, nomeado cabeça da Igreja e eleito o 1º papa. Fazia a conversão de milhares de pessoas. Vivia em Cafarnaum com o irmão André, sua mulher e sua sogra. Jesus morou com Pedro por muito tempo. Foi preso, morto crucificado numa cruz de cabeça para baixo a seu pedido, pois não queria morrer do mesmo modo que Jesus.
 Apóstolo TIAGO, maior: Irmão de São João Evangelista, filho de Zebedeu, pescador, foi chamado quando consertava as redes. Seu apostolado na Espanha foi rejeitado, era peregrino e lutador pelas causas de Cristo. Ele e João foram chamados Boanerges, que quer dizer "filhos do trovão". Assim como os outros apóstolos, Thiago também foi vítima de perseguição movida pelas autoridades judaicas. Foi morto à espada.
Apóstolo JOÃO: Pescador. Teria 20 anos de idade quando foi chamado. Era o mais jovem e o discípulo que Jesus mais amava. Era moço equilibrado e sereno. Foi a ele que Cristo confiou sua própria mãe, do alto da cruz. Conforme uma tradição unânime, ele viveu em Éfeso em companhia de Nossa Senhora e sob o Imperador Domiciano, foi colocado dentro de uma caldeira de óleo fervendo, daí saindo ileso. Morreu devido a idade avançada em Éfeso, durante o império de Trajano, e aí foi sepultado.
 
Apóstolo ANDRÉ: Foi o 1º a ser chamado para seguir Jesus. Depois apresentou seu irmão Simão Pedro. Era da Aldeia de Betsaida e pescador. Era animado, ativo e prático. Participou no milagre da multiplicação dos pães e sempre fiel na caminhada de Jesus. A respeito de seu martírio, não há informação certa. Há informações que foi crucificado em uma cruz de braços iguais.
Apóstolo FILIPE: Pescador. Deixou casa, mulher e três filhas ao ser chamado. Homem simples e bondoso. Pregava que Cristo era a "porta" para chegar ao Pai. A tradição afirma que Filipe morreu crucificado em Gerápolis, aos 87 anos.

Apóstolo BARTOLOMEU: Pescador, amigo de Felipe, era incrédulo, mais lido e culto que Felipe. Para convencer-se que Jesus era o Salvador, foi preciso estar com ele. Depois disso gostava de ler e meditar as Sagradas Escrituras. Na Armênia converteu muitos a Cristo. Essas conversões, no entanto, provocaram uma enorme inveja nos sacerdotes locais, até que conseguiram a ordem de tirar a pele de Bartolomeu e decapitá-lo.
 

Apóstolo MATEUS: O único que não foi pescador. Era cobrador de impostos. Homem decidido, fervoroso e generoso. Foi evangelista, pregador da Boa Nova e selou com seu sangue por pregar a verdade. Aceitou o chamado de imediato, testemunhou e escreveu o que presenciou na vida pública de Jesus. Morreu apedrejado, queimado e decapitado na Etiópia.
Apóstolo TOMÉ: Pescador, tinha o apelido de dídimo, em aramaico. Logo em seguida, traduzido para o grego "Thomé", que significava "gêmeo". Segundo a tradição, seu nome verdadeiro era Judas. Galileu, honrado, nobre, sincero, de caráter forte e impulsivo. Se destacou como incrédulo, por não ter acreditado na ressurreição do Cristo, somente após ter colocado os dedos nas chagas do corpo de Jesus.
 


Apóstolo Judas TADEU: Pescador. Homem de juízo, prudente, irmão de Tiago Menor. Era de Nazaré, filho de Cleopas e de Maria. Há poucas informações sobre esse apóstolo e há quem diga ser proposital esse desconhecimento, para dar exemplo da necessidade de ficarmos, também nós, no oculto.

Apóstolo TIAGO menor , filho de Alfeu: Pescador. Chamado assim pela sua estatura e idade. Nasceu em Caná, tinha graça sobrenatural e dom perfeito vindo do Pai. Fez varias profecias. Nas suas pregações, anunciava os castigos que haviam de vir se não se convertessem. Estava no cenáculo com Nossa Senhora e os outros apóstolos, aguardando a vinda do Espírito Santo. Sobre a morte de Tiago, possuímos informações o qual o apóstolo teria sido condenado ao apedrejamento, no ano 61 ou 62 do sumo pontífice Anás II.

Apóstolo SIMÃO: Pescador, com o cognome Cananeu, que significa "Zeloso", pregou na África e Grã-Bretanha. Igual Tadeu, se tem pouco sobre sua vida. Seguiu Jesus com muito carinho e dedicação. Segundo uma notícia, o apóstolo teria sofrido o martírio durante o império de Trajano, em 107, com respeitável idade de 120 anos.
JUDAS ISCARIOTES: Seu nome verdadeiro era Judas de Simão. Era originário da cidade de Kerioth. Todos os chamavam de "Ish-Keriot", que significava, "da cidade de Keriot". O que se deu o nome de Judas Iscariotes. Foi quem traiu Jesus .
O 13º APÓSTOLO - MATIAS - É um nome frequente entre os hebreus e quer dizer "dom de Deus". É o apóstolo que recebeu como dom, o ser agregado aos Doze, tomando o lugar vago deixado pela deserção de Judas Iscariotes. A sua eleição foi mediante sorteio, após a Ascensão do Senhor, pela proposta de Simão Pedro. Matias esteve portanto, constantemente próximo a Jesus desde o início até o fim de sua vida pública. Nada se sabe de suas atividades apostólicas, nem se morreu como mártir ou de morte natural. A tradição da morte por decapitação com um machado se liga o seu patrocínio especial aos açougueiros e carpinteiros.

2 comentários:

REINALDO FONSECA - PASCOM disse...

Olá Catarina! Ótima sua postagem sobre os apóstolos de Jesus.
Grande abraço na Paz e no Amor de Cristo,

Reinaldo

Cláudia / Dinh@ disse...

Olá Catequista Unido!
Bom domingo!
Estou passando para uma visitinha!
Paz de Cristo!
Cláudia